Escolha uma Página

Uma dúvida muito comum em fisioterapeutas, principalmente naqueles que estão no começo da carreira, é saber quanto cobrar pela sessão de fisioterapia. Afinal, a mesma consulta ou procedimento pode custar um valor na região sul e outro na região nordeste, assim como também pode variar de profissional para profissional.

Mas calma, é sim possível ao fisioterapeuta cobrar um valor justo sem ferir a ética da profissão. Além de poder chegar ao preço ideal por conta conta própria, pesquisando o mercado, por exemplo, o fisioterapeuta pode contar com uma base de valores criada pelo COFFITO que estabelece um parâmetro para a cobrança dos serviços prestados.

Continue a leitura deste artigo e saiba mais detalhes de quanto você pode cobrar por cada sessão de fisioterapia.

Quanto cobrar pela sessão de fisioterapia?

Essa não é uma pergunta nada fácil de se responder. 

Pois há muitos fatores que podem ser levados em consideração e para saber o quanto cobrar pela sessão de fisioterapia, é preciso avaliar os gastos envolvidos com seu trabalho.

Ainda mais na fisioterapia, em que há diversos tipos de atendimentos em níveis diferentes. Para cada tipo de consulta pode ser necessário conhecimentos, ferramentas ou softwares diferentes. 

Todos esses pontos são variáveis que devem sim ser levado em consideração para conseguir responder à pergunta. E para que o fisioterapeuta possa chegar no valor ideal a se cobrar pela sessão, algumas coisas não podem ser ignoradas. Como:

  • Preços que seus concorrentes cobram
  • Custos fixos e variáveis que você tem
  • Recomendações do COFFITO

Esses 3 itens devem ser levantados individualmente, para que ao final, você possa ter mais embasamento para definir o preço das suas sessões e, ao mesmo tempo, não seja fora da realidade financeira dos seus pacientes.

Iremos detalhar cada um desses itens mais à frente.

Estude seus concorrentes

É imprescindível a qualquer negócio estar atento ao que a concorrência está fazendo, pois utilizá-los como parâmetro pode ser algo que mude suas estratégias. Seja para fazer o que está dando certo com seu concorrente ou seja para evitar algum erro que ele cometeu.

Logo, para saber quanto cobrar pela sessão de fisioterapia, um dos caminhos é analisar seu concorrentes e saber o preço médio que ele cobra por cada consulta. Vale dizer que essa não deve ser a principal base para a formação do seu preço, pois diferenças de valores podem ter relação com outros fatores.

Por exemplo, seu concorrente pode ter um aluguel mais caro que o seu e, por isso, pode cobrar um valor mais elevado para manter os custos operacionais do negócio. Sabemos que, independente da cidade, há regiões mais caras e outras mais baratas. Então, tenha cuidado com essas variáveis quando for pesquisar preços.

Mas, saber o preço cobrado em determinados serviços, pode ajudar você a ter insights valiosos do porquê aquele preço é cobrado e os pacientes pagam sem reclamar. Seu concorrente pode utilizar equipamentos que garantam a ele essa percepção de valor junto aos clientes, por exemplo.

Saiba quais são seus custos fixos e variáveis

Este é outro ponto importante que pode te ajudar a saber quanto cobrar pela sessão de fisioterapia.

Para ficarmos na mesma página, uma breve explicação do que são custos fixos e custos variáveis.

  • Custo fixo: aqueles imprescindíveis para o funcionamento do negócio. Como água, energia elétrica, aluguel, salários.
  • Custo variável: aqueles que não são esperados, mas podem acontecer. Como eventuais manutenções de equipamentos ou do espaço físico da clínica.

Por isso, é importante que você tenha previsibilidade dos seus gastos, para que possa definir seus preços e assim ter previsibilidade no seu lucro. E assim, não seja surpreendido com gastos inesperados, em alguns casos, eles podem deixar o caixa da clínica no vermelho.

Uma boa estratégia para evitar isso, é optar por custos que sejam recorrentes e que não mudarão o preço de uma hora para a outra. Já há serviços fisioterapêuticos, como o E-lastic, que são disponibilizados como assinatura recorrente para dar maior previsibilidade de gastos aos fisioterapeutas.

Quanto mais você conseguir reduzir despesas, mais as suas opções de modificar o preço cobrado pelas suas sessões aumenta. Com menos despesas você pode optar por também abaixar o preço das suas consultas ou manter o mesmo preço e conseguir lucros maiores.

Recomendações do COFFITO

Todo ano, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Intensiva – COFFITO, elabora uma tabela que baliza os preços dos honorários de fisioterapeutas e os ajudam a ter uma base de quanto cobrar por cada tipo de sessão.

O Referencial Nacional de Procedimentos Fisioterapêuticos – RNPF, é feito com base na interpretação do Coeficiente de Valoração (CV). Um índice com valor em Reais, ajustado anualmente, que é multiplicado pelo valor de referência. Em 2020, o valor para 1 CV é de R$ 0,63.

Cada procedimento fisioterapêutico tem seu nível de complexidade e exigência técnica, e por isso, possuem CV’s distintos. Logo, isso permite que o fisioterapeuta possa ter um parâmetro mínimo do quanto cobrar por cada sessão.

Os valores presentes no RNPF, não significam que serão seguidos à risca por todos os fisioterapeutas. Esses valores servem para nortear eticamente a definição de quanto cobrar em cada sessão de fisioterapia, cabendo ao profissional analisar sua realidade e estipular o valor mais justo.

Mas, por exemplo, no RNPF-2020, uma avaliação de força muscular com dinamometria tem um referencial de 300 CV. Logo, se multiplicarmos esse referencial pelo valor de 1CV, temos o valor base de R$ 189,00 para cada sessão de dinamometria.

Tendo esse valor como base, o fisioterapeuta pode justificar seus preços para os pacientes.

Conclusão

Se você tiver compreensão sobre todo o processo de trabalho da sua clínica, os custos (fixos e variáveis) e os ganhos, mais fácil será para você encontrar o preço ideal a se cobrar pela sessão de fisioterapia.

Estudando seus concorrentes, tenho conhecimento dos valores recomendados pelo COFFITO, você poderá cobrar o preço justo tanto para o seu negócio, quanto para seus pacientes. Se você gerar valor em seus atendimentos, utilizando equipamentos ou serviços que te diferenciem dos concorrentes, um preço mais salgado não será problema.

Então, caso você deseje cobrar um pouco a mais da base recomendada pelo COFFITO (o que é totalmente possível), adquira soluções que irão te propiciar argumentos lógicos para cobrar a mais que seus concorrentes e ainda assim, ter mais pacientes que eles.

Se esse for seu caso, conheça o E-lastic. Um serviço por assinatura que traduz avaliações de força por biofeedback e os transmite em tempo real para a tela do celular. Fale agora com um de nossos consultores e tire suas dúvidas.