Dinamómetro isocinético en el tratamiento de lesiones de deportistas

Publicado en
Dinamometro Isocinético e a prevenção de atletas

Quais as vantagens da avaliação física feita por dinamômetros isocinéticos e por que fazê-las?

No dia-a-dia de treinos, atletas, sejam eles profissionais ou não, sempre estão preocupados com um aspecto recorrente na carreira: evitar lesões. Um dos aparelhos muito utilizados para prevenção e tratamento de lesões são os dinamômetros isocinéticos, tanto na fisioterapia, quanto com outros profissionais que tratam de avaliação física.

O que é e como funciona um dinamômetro isocinético

Um aparelho isocinético é utilizado para medir a força máxima de uma musculatura, seja ela de membros superiores ou inferiores. O atleta realiza uma resistência contra o aparelho, isso quer dizer que, invés de um atleta “puxar” um peso pré-definido, ele só trabalha com o peso que sua própria musculatura permite.

Um grande diferencial desse tipo de tecnologia, é o fato dela funcionar com velocidades angulares constantes, ou seja, o atleta pode realizar certos movimentos em sua totalidade. Além disso, um dinamômetro isocinético oferece resultados mais completos para o atleta e para os profissionais de fisioterapia.

Exercícios Isocinéticos praticado em grupo
Exercícios Isocinéticos praticado em grupo

O teste isocinético

O exame realizado pelo isocinético, ajuda na prevenção e tratamento de lesões uma vez que ele permite identificar assimetria entre musculaturas entre os lados direito e esquerdo e comparar musculaturas de membros diferentes. Também, pode-se acompanhar a evolução de um membro que passou por cirurgia ou sofreu uma contusão. O que viabiliza ao profissional o trabalho chamado fortalecimento isocinético, indicar treinos e séries para fortalecer a musculatura assimétrica.

Quem usa?

No Brasil, esse tipo de aparelhagem é muito comum em clubes de futebol. Grandes times, tanto do futebol feminino quanto do masculino, utilizam os testes isocinéticos para prevenção das lesões mais comuns entre os atletas da categoria. Ademais, atletas de diversos outros esportes também se utilizam da tecnologia isocinética para preparação física, como atletas de futsal, futebol de 5 e basquete. E, atletas como a paraciclista e medalhista de bronze mundial, Jady Malavazzi.

Avaliação isocinética e o joelho

Os dinamômetros isocinéticos são muito utilizados por atletas profissionais, principalmente na prevenção de lesões no joelho, a maior articulação do corpo. O joelho, é utilizado bastante pelos atletas para potência e, a relação entre o pico de torque dos flexores/extensores, pode ser fatal para uma carreira em casos de grandes assimetrias não identificadas e não tratadas.

Comparativos de dinamômetros isocinéticos

Um dos dinamômetros mais conhecidos do mercado hoje é o americano Lafayette. Ele é validado cientificamente, possui capacidade máxima de força de 136 quilos e consegue manter em sua memória interna até 150 testes realizados. Segundo o site oficial, os testes são feitos com o profissional aplicando força no membro do paciente, com o objetivo de superar ou “quebrar” a resistência do paciente.

E o E-lastic, tecnologia brasileira de dinamometria, funciona semelhantemente ao Lafayette. É também validado cientificamente, contudo, possui equipamentos com alcance de força máxima de 50 e 200 quilos. Além disso, funciona em sistema de assinatura, e dispõe de planos que podem chegar a ter a inserção de testes ilimitados. O sistema de planos ainda oferece a implementação e treinamentos.

Algumas das diferenças técnicas sobre o leque de avaliações que podem ser realizadas pelos dois equipamentos ainda podem ser comparadas no infográfico abaixo:

Infográfico de comparação dos dinamômetros E-lastic e Lafayette
Infográfico de comparação dos dinamômetros E-lastic e Lafayette

Além disso, as avaliações realizadas com o E-lastic funcionam de maneira oposta a do Laffayette: ao invés de o profissional tentar superar a resistência máxima do músculo do paciente, o sujeito realiza os testes aplicando a sua a maior força possível. E ainda, o especialista pode criar protocolos de avaliação, para que a avaliação seja o mais personalizada possível. Por exemplo, pode-se criar o exercício soco para a avaliação de um boxeador ou chute para avaliação de um lutador.

Agora você já conhece o que é, como funciona e os tipos de avaliações realizados por um dinamômetro isocinético. Ficou alguma dúvida? Fale conosco e assine já!