Escolha uma Página

Desde março de 2020, quando o mundo passou a enfrentar a pandemia de COVID-19, diversos profissionais ganharam destaque na contenção e tratamento desse vírus. Mas, os profissionais de fisioterapia tiveram grande destaque, isso segundo uma pesquisa realizada, a demanda por contratação de fisioterapeutas respiratórios e hospitalares teve um aumento de mais de 1000%.

Desde o seu surgimento há 50 anos, a fisioterapia desempenha um papel fundamental para a sociedade. Não seria diferente agora diante à maior crise sanitária do último século.

Veja neste artigo o papel da fisioterapia na recuperação de pacientes pós-Covid-19.

A fisioterapia e o seu propósito com a sociedade

Não é nenhuma novidade dizer que o papel da fisioterapia é oferecer qualidade de vida às pessoas, por meio da prevenção e reabilitação física. Através do seu trabalho, o fisioterapeuta pode contribuir na saúde, autoestima e bem-estar de inúmeras pessoas.

A fisioterapia pode ser dividida em duas grandes áreas:

  • Motora: é voltada para o tratamento de dores musculoesqueléticas, alterações posturais e pós-operatórios de lesões articulares. Tem o objetivo de corrigir e restabelecer as condições físicas do paciente por meio de exercícios e alongamentos.
  • Respiratória: conjunto de técnicas realizadas com o objetivo de prevenir e recuperar disfunções referentes ao processo de respiração. Tem como objetivo manter ou melhorar a capacidade respiratória, removendo secreções e buscando uma função respiratória mais a ver com as condições fisiológicas do paciente.

Contudo, no tratamento de pacientes que tiveram a Covid-19, é a fisioterapia respiratória que tem maior destaque, já que a doença ataca profundamente o sistema respiratório do indivíduo.

Logo, a necessidade por aparelhos que auxiliam na respiração mecânica é bastante alta. Por consequência, a necessidade por profissionais que saibam manuseá-las também, como é o caso dos fisioterapeutas respiratórios.

Fisioterapia durante o tratamento da Covid-19

A Covid-19, causada pelo Coronavírus, afeta primariamente o sistema respiratório dos pacientes infectados. No sistema respiratório, o vírus pode causar problemas de forma leve, moderada ou grave.

A fisioterapia respiratória tem um importante papel frente aos sintomas da COVID-19 no intuito de colaborar para diminuir os sintomas causados pela doença. 

A atuação ocorre em diversos âmbitos, como a participação na equipe multidisciplinar na assistência ao paciente em situação grave. E também em condutas de terapia na remoção de secreções para a melhora da função respiratória.

Antes da escolha dos recursos e técnicas fisioterapêuticas, o fisioterapeuta deve considerar as indicações e contraindicações de cada uma delas, sempre considerando os riscos e as particularidades de cada paciente.

Além das técnicas voltadas para a melhora da respiração, os fisioterapeutas também realizam intervenções que estimulam a mobilidade do paciente. Como eles passam muito tempo na mesma posição, é importante ações que promovam a amplitude articular, assim como aquelas que estimulam o movimento.

Como se sabe, pacientes em estados críticos podem perder entre 17% e 30% da massa muscular nos 10 primeiros dias de uma internação intensiva. Sabendo que em casos mais graves, a internação por covid-19 pode durar até três semana, se percebe também a importância da fisioterapia motora. Para auxiliar na recuperação desses pacientes ainda no hospital, o fisioterapeuta por utilizar de ferramentas que otimizem o trabalho no leito hospitalar e dêem informações ainda no leito intensivo.

Fisioterapia após a recuperação da Covid-19

Infelizmente, ainda não há estudos conclusivos sobre a extensão das sequelas de Covid-19, mas sabe-se que uma parte significativa dos recuperados continua necessitando de assistência da fisioterapia nos meses seguintes à alta hospitalar.

Há um certo padrão em pacientes que estiveram internado em UTI devido ao Covid-19, pois muitos desenvolvem uma redução na capacidade pulmonar, dores musculares e articulares, além de uma fraqueza muscular generalizada. Por conta disso, percebe-se o porquê a procura por fisioterapeutas ainda é muito grande.

E a tendência é que continue a crescer, mesmo após o fim da pandemia com a liberação das vacinas no ano de 2021. Então, qual o será o papel da fisioterapia no retorno às atividades pós-covid-19?

A transição do paciente do ambiente hospitalar para o ambiente normal dele leva um tempo, pois é preciso que ele consiga retomar a autonomia de respirar sem ajuda de aparelhos. Após essa etapa, é necessário utilizar as técnicas de fisioterapia motora para avaliar a força do paciente, podendo utilizar equipamentos como dinamômetro isométrico, por exemplo.

De toda forma, é imprescindível que o fisioterapeuta se qualifique para ser capaz de suportar toda a demanda e necessidades específicas de pacientes que tiveram Covid-19. Uma das maneiras de se qualificar é lendo artigos ou participando de eventos online com experts da área.

Para ajudar a dar uma resposta ao papel da fisioterapia na recuperação de pacientes pós-Covid-10, nós reunimos dois fisioterapeutas referências em suas áreas para bater um papo sobre o tema em um Webinar. 

Durante 1 hora eles demonstraram como vêem o papel do fisioterapeuta, quais atribuições o fisioterapeuta não pode deixar de cumprir e quais ferramentas são primordiais para uma avaliação e tratamento eficaz do paciente pós-internação por Covid-19. Você pode assistir ao Webinar clicando aqui ou no vídeo abaixo.

Gravação do I Webinar E-lastic com a participação dos fisioterapeutas Mateus Petrucci e Júlio Borba

Fique à vontade para comentar abaixo e dar sua opinião sobre o tema.

Curtiu o conteúdo? Veja mais em nosso Instagram.