Como otimizar o trabalho da fisioterapia hospitalar

Postado em
Como otimizar o trabalho da fisioterapia hospitalar

Como otimizar o trabalho da fisioterapia hospitalar

Um dos vários serviços oferecidos por hospitais em todo o país é a fisioterapia hospitalar. O profissional dessa área é responsável pela avaliação, elaboração e execução do tratamento de pacientes pré e pós operados, clínicos ou emergenciais. Como a fisioterapia hospitalar atende um leque muito grande de pacientes é de suma importância que o trabalho sempre seja o mais rápido, preciso e eficiente possível.

E-lastic otimizando a fisioterapia hospitalar
E-lastic otimizando a fisioterapia hospitalar

No tratamento voltado ao aspecto motor, uma das inovações utilizadas principalmente em crianças é a gameterapia. Ela consiste em utilizar jogos de videogame no auxílio do atendimento fisioterápico. Através dos jogos, os pacientes simulam uma realidade virtual hiper interativa, possibilitando que o terapeuta cative a criança em um ambiente que por vezes é de difícil compreensão por ela e ainda realize os exercícios necessários.

Assim como o dinamômetro de força E-lastic. Com ele, a partir do exercício com elásticos ou a avaliação isocinética, o profissional mede e analisa o nível de força de membros superiores e inferiores do paciente, tudo integrado a um aplicativo de celular que gera gráficos de cada aplicação e sessão para que o terapeuta possa avaliar a evolução do tratamento. Além disso, o equipamento é extremamente portátil, o que significa que o transporte até os pacientes é extremamente prático, podendo até mesmo ser acoplado na própria cama do paciente e ser esterilizado em caso de uso em UTI’s.

Atualmente, grandes nomes da fisioterapia hospitalar já utilizam a tecnologia E-lastic, como o fisioterapeuta intensivista Daniel Xavier e a rede Sarah, referência hospitalar no tratamento fisioterapêutico.

Otimizacao do tratamento fisioterapêutico
Otimizacao do tratamento fisioterapêutico

Para a captura de dados fisiológicos do paciente, como temperatura e frequência cardíaca, dados que o paciente não consegue controlar e que precisam de diversos equipamentos separados para medição, existem os aparelhos de biofeedback, que transformam esses dados imperceptíveis em números concretos. São instrumentos ligados a um computador e extremamente sensíveis que ajudam o fisioterapeuta ter conhecimento das respostas do organismo do paciente em tempo real. Uma das vantagens dessa tecnologia é que semelhante ao E-lastic (que oferece um biofeedback da carga do exercício), ela permite acompanhamento da evolução do tratamento.

A presença do fisioterapeuta em um hospital é extremamente necessária para a promoção da saúde. Tem relação direta na velocidade e qualidade da recuperação dos pacientes. Além disso, por ser uma área que exige muito trabalho e capacitação, o uso dos diversos aparelhos, tecnologias e maneiras só tem a acrescentar no serviço a ser oferecido e na preparação do profissional quanto a seu paciente. Pesquise e invista!