As melhores tecnologias que ajudam na prevenção de lesões

Postado em
As melhores tecnologias que ajudam na prevenção de lesões

As melhores tecnologias que ajudam na prevenção de lesões

Infelizmente, lesões fazem parte da carreira de muitos atletas, sejam eles de alta performance ou não. A exemplo disso tem-se Daniel Alves, jogador de futebol que acabou ficando de fora da Copa do Mundo de Futebol do ano passado devido a uma lesão no joelho ou Daiane dos Santos que teve uma aposentadoria forçada da ginástica artística, em 2012, após uma série de ferimentos. Porém, na última década diversas tecnologias envolvendo a prevenção de lesões foram desenvolvida, o que faz com que a prevenção seja mais eficaz e acessível.

Atualmente, existem dos mais variados tipos de aparelhos ligado a medicina esportiva que tem como objetivo melhorar a performance dos atletas a partir da prevenção de lesões. Desde softwares de monitoramento a dinamômetros portáteis.

Massageadores mecânicos

A grande novidade desse tipo de aparelho é porque ele promete uma eficiência maior que de uma massagem comum. Uma vez que são portáteis e customizáveis quanto a intensidade da aplicação.

O aparelho da empresa Normatec veste os membros do corpo e, com um movimento de inflação, contrai os músculos. Ele pretende oferecer ao atleta recuperação e reabilitação plena dos músculos durante o período de treinamento e também pós-performance.

Além disso, o equipamento é dividido em áreas o que possibilita ao atleta ou preparador atingir exatamente a região desejada.

Normatec, aparelho oferece ao atleta recuperação e reabilitação dos músculos
Normatec, aparelho oferece ao atleta recuperação e reabilitação dos músculos

Softwares de monitoramento

Com os softwares de monitoramento a comissão responsável pela saúde dos atletas conseguem monitorar diversos aspectos da sua evolução física e biológica em um só lugar.

Algumas marcas como o 1Core, permite o registro, em um só software, de dados como velocidade média do atleta, fadiga e potência muscular, além de monitoramento cardíaco e outras respostas fisiológicas.

Dessa maneira, pode-se acompanhar a evolução de cada atleta e observar alguma alteração nos dados médios coletados. Evitando-se algum tipo de lesão.

Dinamômetros isocinéticos

Esse tipo de aparelho é muito popular com atletas de alta performance. Usualmente possuem um preço muito elevado uma vez que, a avaliação é feita a partir da força que o atleta consegue produzir durante o movimento e não a partir de uma carga pré-determinada, como em um método isotônico. Clubes de futebol como Botafogo, Palmeiras e Barcelona têm equipamentos que fazem esse tipo de avaliação.

Eles colaboram na prevenção das lesões porque o indivíduo nunca encontrará mais resistência do que consegue suportar, o peso que ele manipula é igual à força aplicada. Pode-se dizer que o trabalho isocinético ocorre sob ‘’velocidade controlada’’. Assim, quem pratica o exercício encontra justamente a resistência equivalente à sua força.

Para atletas e profissionais que utilizam o corpo ao máximo, é importante que essas medições possam ser feitas antes que alguma lesão ocorra, assim você possui os dados para comparação com dados saudáveis.

E-lastic colabora na prevenção das lesões e medição evolutiva de força
E-lastic colabora na prevenção das lesões e medição evolutiva de força

Entretanto, a tecnologia inovadora do equipamento E-lastic, funciona e fornece informações semelhantes a um dinamômetro isocinético. Com um preço que chega a ser 10x menor que os dinamômetros semelhantes do mercado, ele facilita o acesso de atletas com financiamentos menores que dos grandes clubes a esse tipo de avaliação. Além de ser portátil, o que permite avaliações em qualquer momento e em qualquer lugar. E, ainda, é ligado a um software de monitoramento, que permite reunir e comparar dados de equipes inteiras em celulares ou tablets.

Crioterapia

A crioterapia é um técnica que se baseia em mergulhar o corpo lesionado ou em recuperação em câmaras cheias de ar super resfriado cujas temperaturas podem atingir mais de -100°C. Estima-se que o artifício de, literalmente se mergulhar em gelo, é utilizado desde meados dos anos 1970, quando um médico japonês buscava alternativas para o tratamento de artrite reumatoide.

Porém, na última década, a febre da crioterapia abraçou o ocidente, com máquinas mais sofisticadas e aparelhos mais eficientes. Uma das empresas pioneiras da técnica nos Estados Unidos, a CryoUSA já comercializa sua tecnologia para clubes universitários e até mesmo academias.

Crioterapia da CryoUSA, técnica que baseia-se em mergulhar o corpo lesionado
Crioterapia da CryoUSA, técnica que baseia-se em mergulhar o corpo lesionado

Com todo esse avanço, ter uma carreira ou praticar uma atividade física de maneira mais saudável e consciente ficou mais fácil, afinal, a rotina de prevenção é agora mais completa e rápida. E, apesar do alto custo de alguns, a medicina esportiva também caminha para um rumo mais acessível à diversos tipos de público.