Escolha uma Página

Tão importante quanto tratar bem lesões musculares é ter a possibilidade de antever a possibilidade de uma lesão e preveni-la. A procura por fisioterapeutas e preparadores físicos capazes de garantir uma prevenção de lesão eficaz vem aumentando em diversos segmentos, principalmente na área esportiva.

Atletas de alto rendimento que precisam estar sempre em ótimo estado físico para competirem em alto nível, necessitam ter a certeza de que seus músculos estão preparados para elevadas cargas de força sem riscos de sofrer lesões que podem tirar de competições importantes.

Neste artigo você verá boas práticas que podem auxiliar os fisioterapeutas na prevenção de lesões musculares. Continue a leitura para saber mais e ao final do artigo, receba gratuitamente uma surpresa que preparamos para você.

Como funciona o sistema muscular

Para entender como evitar uma lesão é necessário voltar algumas etapas para entender o sistema muscular do corpo humano e como as lesões musculares podem surgir.

O sistema muscular é constituído por fibras musculares agrupadas e dispostas de forma organizada que garantem  a movimentação do corpo, a estabilização de diferentes posições corporais, a realização dos movimentos respiratórios e também é responsável pela movimentação do sangue no organismo.

Há dois tipos de fibras musculares:

  • Tipo I – Fibras de contração lenta ou da cor vermelha: exigida em exercícios aeróbicos 
  • Tipo II – Fibras de contração rápida ou da cor branca: exigida em exercícios anaeróbicos.

Os dois tipos de fibras musculares estão presentes em todos os grupos musculares do organismo e, a depender da atividade sendo exercida, um tipo de fibra poderá ter predominância sobre o outro. Como é o caso de esportes como o futebol que exigem mais da Fibra Tipo 1.

Segundo o Dr. Adriano Leonardi, na biomecânica são dadas as seguintes denominações para ações dos músculos:

  • Agonista: quando o músculo executa algum movimento;
  • Antagonista: quando o músculo se contrai contra o movimento;
  • Sinergista: quando ele ajudar o músculo principal envolvido no movimento; e
  • Fixado: o músculo que se contrai para fixar, estabilizar e proteger uma articulação.

Como surgem as lesões musculares

Os movimentos dos músculos são denominados de contração concêntrica e contração excêntrica.

A concêntrica ocorre quando existe aproximação das articulações, como por exemplo, quando é realizada a flexão do joelho. Já a excêntrica é quando ocorre o movimento de desaceleração da ação anterior, ou seja, quando é realizada a extensão do joelho à posição inicial.

Há também a contração isométrica, que é quando o músculo contraído exerce força sem nenhum movimento nas articulações.

As lesões musculares podem ser tanto traumática quanto atraumáticas. Alguns exemplos dos dois tipos de lesões:

  • Traumáticas: estiramento, contusão muscular;
  • Atraumáticas: câimbras, lesão por overtraining e dor muscular tardia.

Logo as lesões musculares surgem, em geral, por conta de contrações musculares inesperadas que resultam em estiramento ou ruptura das fibras musculares.

O movimento excêntrico é responsável por ser a ação negativa aos movimentos concêntricos, o que acaba resultando em muitas lesões musculares indiretas, também conhecidas como estiramento muscular.

Especialistas dividem as lesões musculares em 3 graus:

  • Grau I: ocorre um leve estiramento dos músculos.Não existe hematomas nas fibras musculares.
  • Grau II: ocorre pequena ruptura em algumas fibras musculares;
  • Grau III: lesão completa do músculo, ocorre ruptura total das fibras musculares da região lesionada.

5 boas práticas que podem ajudar na prevenção de lesões musculares

Embora pareça óbvio, é importante ressaltar que músculos fortalecidos têm maior resistência lesões. Como foi possível notar nos parágrafos anteriores, rupturas das fibras musculares podem acometer tanto de forma simples, tanto de forma mais complexa/séria.

Com os exercícios corretos para cada tipo de musculatura, o fisioterapeuta pode indicar ao paciente as melhores maneiras de fortalecer seus músculos e se manter ativo por mais tempo.

Podemos citar como boas práticas:

  • Captar informações com dados validados;
  • Transmitir com transparência essas informações ao paciente;
  • Ter protocolos de prevenção de lesões;
  • Ter um software que auxilie a verificar a qualidade dos exercícios realizados pelo paciente;
  • Ter um banco de dados para poder cruzar diversas informações de força dos pacientes.

Embora possa ser difícil a alguns pacientes verem benefícios em algumas práticas, cabe ao fisioterapeuta educá-los para que passem a enxergar que a prevenção de lesão é bem menos sofrida que o tratamento pós-lesão.

Algo muito natural de nós, humanos, é termos a tendência de acreditar mais naquilo que podemos ver ou tocar. É o famoso “ver para crer”.

O fisioterapeuta pode tangibilizar esse aspecto de prevenção de lesões musculares, por exemplo, mostrando visualmente ao paciente a diferença de força entre musculaturas do mesmo membro. Ao mostrar, por mais que possa não entender 100% das informações ali presentes, o paciente consegue ter em mente o que precisa melhorado.

O que seria bem mais difícil se o fisioterapeuta apenas falasse e não mostrasse.

Relatório de membros superiores gerado no app E-lastic

Algo que pode funcionar bem é mostrar relatórios de evolução da força muscular (como da imagem acima), ou seja, mostrar como era a força dele quando começou a se consultar com você e como é, por exemplo algumas semanas depois.

Como o E-lastic pode auxiliar na prevenção de lesões musculares

Talvez você não veja soluções que te auxiliem a demonstrar aos seus pacientes a evolução de sua força.

Contudo, permita-me te apresentar o E-lastic. Uma solução que auxilia mais de 700 fisioterapeutas, profissionais de educação física, preparadores físicos de todo o Brasil a avaliar força totalmente baseado em dados.

Integrado a um dinamômetro isométrico, o aplicativo E-lastic é programado para medir mais de 60 exercícios diferentes, 3 protocolos pré-programados, além de permitir a inserção de quantos mais forem necessários.

Com tecnologia nacional e comprovada cientificamente, o E-lastic tem como missão revolucionar o mercado de saúde do Brasil e ter um vasto banco de dados sobre a força muscular do brasileiro.

Pacientes, atletas amadores ou profissionais, serão grandes beneficiados desta tecnologia, afinal eles também poderão ter acesso ao que sua força muscular produz no momento da avaliação.

Para saber mais e ter uma demonstração do que o E-lastic pode fazer, fale agora com um de nossos consultores.

Ah! Não pense que me esqueci do que prometi no início do texto. Pensando em auxiliar os fisioterapeutas que procuram soluções para a prevenção de lesões musculares, nós preparamos um E-book contendo breve apresentação das principais lesões e como preveni-las. 

Para baixar gratuitamente o material, acesse essa página.